Conheça o BYOD e saiba usá-lo em benefício da empresa

 

O número de brasileiros que usam dispositivos móveis como tablets e smartphones, segundo aNielsen Ibope, chegou a mais de 70 milhões no primeiro trimestre do ano passado. Esse número representa 61% dos 125 milhões de brasileiros que usam telefonia móvel em todo o país. Os números só comprovam o que todos já sabem. Os dispositivos móveis estão cada vez mais acessíveis às pessoas e presentes no dia a dia de empresas e usuários.

Hoje, é praticamente impossível alguém sair para trabalhar e deixar o smartphone ou tablet em casa ou dentro da bolsa ou mochila durante todo o período que passa na empresa. O uso desses dispositivos não é só um hábito como, muitas vezes, é incorporado às atividades diárias do trabalho.

Por isso, é cada vez mais comum as empresas permitirem que colaboradores ou gestores trabalhem com os próprios notebooks, tablets e smartphones. Essa prática, que já é bem disseminada nos Estados Unidos e alguns países da Europa, é conhecida no mercado por BYOD Bring your own device, que traduzido para o português é “traga seu próprio dispositivo”.

A principal particularidade do BYOD defendida por CIO’s de todo o mundo é que a partir do momento em que a pessoa trabalha com o próprio computador ou telefone, a probabilidade de desempenhar melhor as atividades é maior. Isso porque ela se identifica melhor com o dispositivo. Por isso, há um registro de aumento na produtividade e qualidade de entrega.

Número crescente BYOD

Segundo levantamento da Cisco Horizons IBSG, feito com mais de 600 líderes de TI, o aumento no número de dispositivos móveis vendidos em todo o mundo está diretamente relacionado ao BYOD.

Isso porque 42% dos Smartphones e 38% dos laptops vendidos nos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Rússia, China, Índia, México e Brasil são dos próprios colaboradores e usados em locais de trabalho.

Ainda de acordo com o estudo, 63% dos líderes de TI (Tecnologia da Informação) esperam que o número de empresas que apostam neste conceito cresça até 2017.

A Gartner também aponta em um estudo feito com mais de 300 empresas que o BYOD é mais prevalente em médias e grandes organizações que faturam de US$ 500 milhões a US$ 5 bilhões, com 2,5 mil a 5 mil funcionários.

Embora a prevalencia seja maior nas grandes, o fato do colaborador ter o próprio dispositivo nas pequenas empresas é uma forma de economia, já que não se faz necessária a compra de equipamentos.

BYOD impulsiona inovação

Segundo um estudo da Gartner feito em 2013, o BYOD impulsiona a inovação para os CIOs e os negócios, aumentando o número de usuários de aplicativos móveis no mercado de trabalho. Assim, desenvolve aplicações em toda a força de trabalho apresenta novas oportunidades inumeráveis além de e-mail e comunicação móvel tradicional.

Ainda conforme a Garner, expandir o acesso e promover a inovação será o grande legado do fenômeno BYOD. Ainda assim, o estudo aponta que a maioria dos líderes não entendem os benefícios e apenas 22% acreditam que se trata de um case forte de negócio. Isso porque é pouco explorado e muitos profissionais de TI ainda temem pela segurança da informação da empresa.

Riscos de vazamento ainda são preocupações

A segurança é a principal preocupação de BYOD. O risco de vazamento de dados em plataformas móveis é particularmente agudo, quando um dispositivo pessoal é conectado diretamente à rede da empresa.

Isso porque, alguns dispositivos móveis são projetados para compartilhar dados na nuvem e não têm nenhum sistema de arquivos de uso geral para aplicações a serem compartilhadas, aumentando o potencial de cópia de dados entre aplicativos.

São dúvidas e incertezas que ainda estão presentes no dia a dia de cada CIO. Por isso, não é preciso ter pressa para implantar o conceito e aderir à essa crescente tendência. Até porque antes de adotá-lo é preciso pensar em novas políticas para que os colaboradores usem os próprios dispositivos conectados à rede da empresa.

Conheça as vantagens

Produtividade e satisfação

O trabalho fica mais produtivo e menos pesado quando a máquina ou dispositivo móvel que o colaborador trabalha é a que ele tem maior afinidade. Além disso, garante a ele satisfação em poder desempenhar o trabalho.

Poder de escolha

Colaboradores podem escolher o dispositivo que quer trabalhar e assim ter a oportunidade de unir a vida pessoal à profissional.

Redução de custos

Se um funcionário usa seu próprio aparelho ou smartphone para acessar assuntos do trabalho e compartilhar dados relativos a eles (de onde estiver e praticamente a qualquer momento), a empresa economiza em recursos materiais, pois passa a necessitar de menos infraestrutura física que precise ficar integralmente disponível.
Assim, deixa de existir a necessidade de realizar operações em seu ambiente físico em tempo integral, os custos automaticamente diminuem.

Inovação e valorização

Quando a empresa permite que o colaborador use o próprio dispostivo, ela faz com que o próprio funcionário inove o ambiente de trabalho. Além disso, valoriza a escolha dele de de como, quando e com quais ferramentas o trabalho é realizado.

Renovação dos dispositivos

Geralmente, os colaboradores substituem os dispositivos móveis mais rapidamente que as próprias empresas. Por isso, quando se aposta no BYOD há a possibilidade de se ter trabalhos mais ágeis, já que os dispositivos atuais tem sistema operacional mais rápido e pode aumentar a produtividade e a organização das atividades.

 

fonte: http://www.correiodeuberlandia.com.br/blogs/www-correiodeuberlandia-com-brplataformaconexao/conheca-o-byod-e-saiba-usa-lo-em-beneficio-da-empresa/

Please reload

Posts Recentes
Please reload

  • Wix Twitter page
  • Wix Facebook page
  • Wix Google+ page
  • LinkedIn Social Icon