CIOs: desafios diários para gerir dispositivos móveis nas empresas

No caso de BYOD em especial, a segurança dos dados é essencial.

 

Os tablets, netbooks, iPhones e androids já fazem parte da rotina de muitos colaboradores, independente do cargo ocupado ou da empresa na qual trabalham. Na atualidade, com o avanço tecnológico e com aparelhos que oferecem tecnologia moderna e acessível é comum as empresas terem em seu quadro de colaboradores os que participam do BYOD, ou seja, o colaborador que utiliza o seu próprio dispositivo para fins também profissionais.

É uma tendência, afinal, estar o tempo todo conectado por meio de algum dispositivo pessoal. Um fenômeno avassalador que tende a ser ainda mais crescente. E por isso, é fundamental que as empresas e os CIO’s enfrentem o desafio de gestão dos dispositivos móveis. Estudos feitos por empresas especializadas na área apontam que essa gestão deve ser muito bem realizada, caso contrário, pode haver perda de vantagem competitiva.

Nessa área, os principais desafios encontrados pelos CIO’s são relacionados à governança, gerenciamento dos dispositivos móveis e segurança. No entanto, apesar de ser uma tendência crescente a cada dia, muitas empresas ainda estão em processo de preparação para receber e principalmente gerenciar dispositivos móveis pessoais.

Em 2012, 41% dos profissionais da informação dos EUA usaram pelo menos três dispositivos para o trabalho, e mais de um terço trabalhou a partir de três locais diferentes, de acordo com a Forrester Research Inc. “Não importa onde eles estão, 15% desses profissionais da informação estão ligados às suas empresas todos os dias por seus dispositivos”, destaca a pesquisa elaborada pela Forrester.

Vale lembrar que depois de “preparar o terreno” para receber os dispositivos móveis pessoais surgem às etapas exigidas na implementação. O primeiro passo é garantir que o usuário aceite contratualmente as condições de BYOD, de preferência, focando inicialmente em aplicações para os e-mails corporativos. Para os colaboradores que lidam com informações confidenciais do negócio, o ideal é continuar oferecendo a eles dispositivos móveis corporativos. A empresa deve considerar dispositivos móveis de todos os tipos e mídia, não somente smartphones e tablets. O modelo de uso e o benefício que vai proporcionar é que definirá a escolha da tecnologia e formatos.

 

Consumerização

Consumerização é o termo usado para descrever o uso por colaboradores de tecnologias no trabalho que são rotineiramente usadas em casa. A diferença com o BYOD está no fato de que aqui o dispositivo pertence ao usuário. Já na consumerização, é de propriedade da empresa e é cedido ao colaborador para que ele use.

Mesmo que os aparelhos pertençam à própria empresa, os CIO’s devem ficar atentos para a gestão da área de TI da companhia, uma vez que informações confidenciais podem estar sendo acessadas remotamente e por que não, sendo transferidas para dispositivos pessoais.

Além disso, é preciso estar sempre alerta para casos de perda do dispositivo. Enfim, de nada adianta incentivar a consumerização, se a empresa não estiver bem preparada para enfrentar os desafios que virão de carona com os dispositivos, como segurança, gerenciamento, privacidade, questões legais, custo do suporte e infraestrutura para habilitar os novos dispositivos.

 

Estratégias

Já que a mobilidade é um fato que a cada dia cresce no mundo corporativo é preciso observar os aspectos técnicos de segurança e produtividade. Descartando os aspectos legais, a empresa que adotar a consumerização ou BYOD deve montar uma estratégia bem definida de interação entre todos os dispositivos móveis disponíveis que precisam ter sistemas fáceis de usar e serem funcionais.

O papel do CIO será de extrema importância nesse cenário. Além disso, deve focar seus esforços no aprimoramento da implementação e disseminação da sua política de segurança de informação, além é claro, da proteção de sua rede, que será acessada por dispositivos móveis a qualquer momento e em qualquer lugar.

No caso da consumerização, os CIOs terão que ser capazes de responder questões como quem paga pelos planos de internet/telefonia e quanto, quem paga em caso de roubo ou furto, quais aplicativos serão permitidos e se o usuário aceitaria ter as informações criptografadas.

 

Portanto, no curto prazo, a estratégia dos CIOs deve ser:

1- Habilitar dispositivos e serviços dos colaboradores proativamente e com segurança;

2- Desenvolver a capacidade de isolar dados corporativos;

3- Permitir que os aplicativos dos dispositivos possam funcionar em ambientes diversos;

4- Usar a Computação em Nuvem como base para a entrega de serviços flexíveis.

 

Uma saída inteligente para o acesso dos dispositivos, especialmente em empresas onde muitos colaboradores usam vários dispositivos móveis, pode ser a construção de uma Nuvem Privada através da qual se oferece acesso a serviços e informações da empresa. Este modelo permite à companhia suportar a grande variedade de dispositivos, com acesso fornecido com base na localização, preferências e capacidades do dispositivo.

 

 

 

Fontes:

http://www.campello.com.br/byod-e-hoje-o-maior-desafio-para-gestores-de-ti/

http://www.tiespecialistas.com.br/2012/04/voce-sabe-o-que-significa-consumerizacao-esta-preparado-para-ela/

http://searchcio.techtarget.com/news/2240170297/Is-managing-BYOD-policy-a-waste-of-the-CIOs-time

http://www.algartech.com/portugues/noticias/em-noticia/mercado/consumerizacao-seus-habitos-para-dentro-da-empresa/#sthash.ZAxJ3t2X.dpuf

Tópicos: Mobilidade, BYOD

Please reload

Posts Recentes
Please reload

  • Wix Twitter page
  • Wix Facebook page
  • Wix Google+ page
  • LinkedIn Social Icon